24 de setembro de 2014

Mês da Bíblia - celebramos 3 anos de evangelização do Blog Partilhando Palavra

Meus amigos Boa Tarde!
Acredito ter já postado este artigo, mas como cada ano celebrando o mês de Setembro, o mês da Bíblia, temos um temário diferente para cada ano que passa!
E é também com tamanha alegria que estamos celebrando como blog 3 anos de existência levando a Boa Nova, formações, coisas boas para o nosso engrandecimento espiritual...
Aproveitem façam a divulgação para que a Palavra seja ressoada em todos os lugares e partes do mundo! 

Mês da Bíblia: “Ide, ensinai e fazei discípulos” (cf. Mt 28,18-19)


Neste mês de setembro a nossa Igreja dedica-se à Palavra de Deus, ou seja, celebramos o mês da Bíblia.
Bíblia significa livrinhos, livros pequenos, e ela é dividida em duas partes no qual denominamos Antigo Testamento, que é antes de tudo “uma historiografia (estudo e descrição da história) em que Deus é a personagem mais importante, cabendo a ele iniciativa e que realiza um projeto de salvação” (Dicionário Enciclopédico Teológico – LEXICON p. 31) e o Novo Testamento, este que “não vem abolir o antigo, mas para dar-lhe cumprimento” (Dicionário Enciclopédico Teológico – LEXICON p. 535) e é também nesses escritos que “encontramos confirmada e professada à mesma fé dos livros do Antigo Testamento”. (Dicionário Enciclopédico Teológico – LEXICON p. 79). Nela contêm setenta e três livros que estão divididas em diversas categorias: o Pentateuco, os Livros Históricos, os Livros Poéticos e Sapienciais, os Livros Proféticos, os Evangelhos Sinóticos, o Evangelho de João, os Atos dos Apóstolos, às Epistolas de São Paulo, a Epistola aos Hebreus, as Cartas Católicas e o Apocalipse.
Em nossos tempos modernos e não somente na formação dos futuros dispensadores da Boa Nova, mas cada um de nós, leigos é necessário que tenhamos um coração aberto para a prática da Palavra de Deus em nossas vidas como a sua meditação na Lectio Divina. É importante frisar o que diz Sua Santidade Papa João Paulo II no discurso sobre a Interpretação da Bíblia na Igreja, que a Leitura Orante da Palavra “é uma leitura, individual ou comunitária, de uma passagem mais ou menos longa da Escritura acolhida como Palavra de Deus e que se desenvolve sob a moção do Espírito em meditação, oração e contemplação” (Papa João Paulo II Interpretação da Bíblia na Igreja. São Paulo: Paulinas. p.150)
A prática da Leitura Orante deve ser de forma assídua além dos ambientes formativos, como nos presbíteros e religiosos (as), como nos indaga a Constituição Dei Verbum no número 25, que é necessário aos sacerdotes, em especial “a obrigação de comunicar aos fiéis que lhes estão confiados, as grandíssimas riquezas da palavra divina, sobretudo na Sagrada Liturgia (…) e ensinar no reto uso dos livros divinos de modo particular do Novo Testamento e, sobretudo dos Evangelhos” (CONCÍLIO VATINO II – Constituição Dogmática sobre a revelação divina – Dei Verbum. 10. ed. Nº37. São Paulo: Paulinas, 2004. p.28), mas a Palavra deve fazer parte da nossa vida de comunidade também, seja nas comunidades de bairro, na Matriz, nos Grupos de Oração, na Catequese, ou seja, em todas pastorais e movimentos da nossa Igreja deve estar sempre presente a Sagrada Escritura, como formar enriquecedora da nossa fé, sendo um grande alimento espiritual.
Portanto, é de grande importância dar valor a este magnífico tesouro que temos em nossas mãos que é a Sagrada Escritura, seja ela para a conversão, para a oração e meditação, mas que a Boa Nova seja parte fundamental na nossa vida, na pastoral e principalmente que seja morada dentro de cada um dos nossos corações, pois em nosso meio “a Palavra de Deus é viva e eficaz” (Hb 4,12). Este ano com grande ardor somos chamados a refletir neste mês da Bíblia, o Evangelho de Mateus, que assim sejamos estes fiéis discípulos de Nosso Senhor, levando a Palavra lida, meditada e colocada em prática na vida de tantas pessoas que precisam, dediquemos a leitura e meditação do evangelho de Mateus, já o fazemos em nossas celebrações dominicais e também na nossa semana, mas dedique a levar para sua vida uma forma de oração que possa chegar aos que necessitam como diz o lema deste mês “Ide, ensinai e fazei discípulos” (cf. Mt 28,18-19).
Pe. Daniel Bento Bejo

Nenhum comentário:

Postar um comentário