29 de março de 2012

Jo 8,51-59

Hoje vamos meditar um texto retirado do site www.evangelhoquotidiano.org que nos mostra um cometário sobre o evangelho do dia de São João 8,51-59
Comentário ao Evangelho do dia feito por São Cesário de Arles (470-543), monge e bispo  Homilia 83
  
«Abraão viu o Meu dia»
Onde exactamente teve lugar o encontro [de Abraão e dos três visitantes]? «Junto ao carvalho de Mambré», palavra que significa «visão» ou «perspicácia». Vede bem em que sítios o Senhor combina os Seus encontros! Pois não é verdade que as qualidades de perspicácia e clarividência de Abraão agradaram ao Senhor? Não tinha ele a pureza de coração para lhe ser possível ver a Deus (cf. Mt 5,8)? Em lugares assim, em corações assim, pode bem o Senhor reunir os Seus convivas!
No Evangelho, o Senhor refere aos judeus este encontro, ao dizer-lhes: «Abraão, vosso pai, exultou pensando em ver o meu dia; viu-o e ficou feliz». «Viu-o», diz Ele, porque Abraão conseguiu reconhecer o Mistério da Santíssima Trindade. Viu o Pai, o Filho e o Espírito Santo nos dias da sua vida, e as três Pessoas no mesmo dia, uma vez que Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo são um só e o mesmo Deus. Com efeito, cada um deles é Deus na totalidade, e todos juntos também. Não será, pois, difícil discernir o Pai, o Filho e o Espírito Santo nas três medidas de farinha que Sara foi buscar para eles, sendo que há nelas unidade de substância.

Podemos, no entanto, apresentar Sara a outra luz, como figura da Igreja: neste caso, as três medidas de farinha seriam a fé, a esperança e a caridade. Com efeito, estas virtudes são os frutos da Igreja universal, e todos aqueles que as reunirem no coração podem ter a certeza de possuir nele a Santíssima Trindade.