18 de janeiro de 2012

Mc 3,1-6

Para meditar a Palavra de Deus desta quarta-feira, vemos colocar um comentário feito Santa Gertrudes de Helfta retirado do site www.evangelhoquotidiano.org...
O evangelho de hoje é de Mc 3,1-6

Comentário ao Evangelho do dia feito por Santa Gertrudes de Helfta (1256-1301), monja beneditina
Exercícios, nº 7

 
«Observavam-No, [...] a fim de O poderem acusar»
Na hora da oração coloca-te na presença da paz e do amor [...]; oh paz de Deus, que ultrapassas toda a inteligência (Fl 4,7), doce e agradável, suave e preferível a tudo, em todo o lado onde penetras reina uma segurança imperturbável. Só tu tens o poder de pôr freio à cólera do soberano; tu ornas o trono do rei com a tua clemência; iluminas o reino da glória com a piedade e a misericórdia. Pela tua graça toma a teu cargo a minha causa, de mim que sou culpada e indigente. [...] Eis que já o credor bate à porta [...]; não é prudente da minha parte falar-lhe, pois não tenho como pagar a minha dívida. Mui doce Jesus, minha paz, por quanto tempo permanecerás silencioso? [...] Pela Tua graça, pelo menos agora fala por mim, dizendo estas palavras caridosas: «Eu te resgatarei». Tu que és seguramente o refúgio de todos os pobres. Não passas ao pé de ninguém sem lhe dares a salvação. Tu nunca deixaste partir aquele que se refugia junto de Ti sem que fique reconciliado. [...]
Pela Tua graça, meu amor, meu Jesus, nesta hora do dia foste flagelado por mim, coroado de espinhos, lamentavelmente coberto de sofrimentos. Tu és o meu verdadeiro rei, para além de Ti não conheço ninguém. Tu fizeste-Te opróbrio dos homens, abjecto e repugnante como um leproso (cf Is 53,3) até a própria Judeia se recusar a reconhecer-Te como Seu rei (Jo 19,14-15). Por Tua graça, que pelo menos eu Te reconheça como meu rei! Meu Deus, dá-me esse inocente, tão ternamente amado, o meu Jesus, que por mim «pagou» tão plenamente «aquilo que não tinha roubado» (Sl 68,5); dá-Mo, para que Ele seja o apoio da minha alma. Que eu O receba no meu coração; que, pela amargura das Suas dores e da Sua Paixão, Ele reconforte o meu espírito. [...]

E tu, paz de Deus, sê a amarra querida que me acorrenta para sempre a Jesus. Sê o sustentáculo da minha força [...], para que eu não seja senão «um só coração e uma só alma» com Jesus (Act 4,32). [...] Por ti, ficarei para sempre ligada ao meu Jesus.

Fiquem com Deus...
Boa meditação e oração
Daniel Bento Bejo

Nenhum comentário:

Postar um comentário