6 de agosto de 2012

TRANSFIGURAÇÃO

Queria convidar a todos para meditar no dia de hoje, dia da Transfiguração do Senhor, um texto das homilias do bispo Anastásio Sinaíta, que está na Liturgia das Horas de hoje.
Que possa nos ajudar a compreender e a rezar este dia!
 
Segunda leitura
Do Sermão no dia da Transfiguração do Senhor, de Anastásio Sinaíta, bispo
(Nn.6-10: Mélanges d’archéologie ET d’histoire 67[1955],241-244)
(Séc.VII)
É bom nós estarmos aqui

Jesus manifestou a seus discípulos este mistério no monte Tabor. Havia andado com eles,
falando-lhes a respeito de seu reino e da segunda vinda na glória. Mas talvez não estivessem muito seguros daquilo que lhes anunciara sobre o reino. Para que tivessem firme convicção no íntimo do coração e, mediante as realidades presentes, cressem nas futuras, deu-lhes ver maravilhosamente a divina manifestação do monte Tabor, imagem prefigurada do reino dos céus. Foi como se dissesse: Para que a demora não faça nascer em vós a incredulidade, logo, agora mesmo, eu vos digo, alguns dos que aqui estão não provarão a morte antes de verem o Filho do homem vindo na glória de seu Pai (cf. Mt 16,28).
Mostrando o Evangelista ser um só o poder de Cristo com sua vontade, acrescentou: E seis dias depois, tomou Jesus consigo Pedro, Tiago e João e levou-os a um monte alto e afastado. E transfigurou-se diante deles; seu rosto brilhou como o sol, as vestes se fizeram alvas como a neve. E eis que apareceram Moisés e Elias a falar com ele (cf. Mt 17,1-3).
São estas as maravilhas da presente solenidade, é este o mistério de salvação para nós que agora se cumpriu no monte: ao mesmo tempo, congregam-nos agora a morte e a festa de Cristo. Para penetrarmos junto àqueles escolhidos dentre os discípulos, inspirados por Deus, na profundeza destes inefáveis e sagrados mistérios, escutemos a voz divina que do alto, do cume da montanha, nos chama instantemente.
Para lá, cumpre nos apresarmos, ouso dizer, como Jesus, que agora nos céus é nosso chefe e precursor, com quem refulgiremos aos olhos espirituais – renovadas de certo modo as feições de nossa alma – conformados à sua imagem; e à semelhança dele, incessantemente transfigurados, feitos consortes da natureza divina e prontos para as alturas.
Para lá corramos cheios de ardor e de alegria; entremos na nuvem misteriosa, semelhantes a Moisés e Elias ou Tiago e João. Sê tu também como Pedro, arrebatado pela divina visão e aparição, transfigurado por esta linda Transfiguração, erguido do mundo, separado da terra. Deixa a carne,abandona a criatura e converte-te para o Criador a quem Pedro, fora de si, diz:Senhor, é bom para nós estarmos aqui (Mt 17,4).
Sim, Pedro, verdadeiramente é bom para nós estarmos aqui com Jesus e aqui permanecermos pelos séculos. Que pode haver de mais delicioso,de mais profundo, de melhor do que estar com Deus, conformar-se a ele, encontrar-se na luz? De fato, cada um de nós, tendo Deus em si, transfigurado em sua imagem divina, exclame jubiloso: É bom para nós estarmos aqui, onde tudo é luminoso, onde está o gáudio, a felicidade e a alegria. Onde no coração tudo é tranqüilo, sereno e suave. Onde se vê a Cristo, Deus. Onde ele junto com o Pai tem sua morada e ao entrar, diz: Hoje chegou a salvação para esta casa (Lc 19,9). Onde com Cristo estão os tesouros e se acumulam os bens eternos. Onde as primícias e figuras dos séculos futuros se desenham como em espelho.

Boa oração
Daniel Bento Bejo

2 de agosto de 2012

Separem nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta!!!!!

Vamos meditar o evangelho de hoje com o texto de São Mateus 13,47-53:

Naquele tempo, 47O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. 48Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. 49Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos 50e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. 51Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. 52Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas. 53Após ter exposto as parábolas, Jesus partiu. 
 
Jesus nos coloca mais uma parábola para compreendermos o Reino de Deus: hoje nos demonstra por meio de uma rede lançada ao mar e que acolhe qualquer tipo de peixe.
É necessário após, uma peneira para separar os bons dos maus, ou seja, aquilo que bom daquilo que ruim.
Por meio, de Deus, de nossa intimidade com Ele na oração, nas atitudes conseguimos chegar ao seu Reino e conseguimos transformar aquilo que está velho para colocar coisas novas.

Reflita:
As vezes em nossa vida, das nossas atitudes, jeitos de ser é interessante que façamos também uma bela limpeza, tirar aquilo que nos prejudica, que nos afasta de Deus, sejam coisas, pessoas, situações que acaba nos machucando e deixando que Deus tome o brilho maior na nossa vida.
Tudo que bom deve ser cultivado, amizades com Deus, primeiramente, depois com aquelas pessoas que confiamos, que amamos e que nos faz chegar ao Pai...

Tenham uma boa meditação da Palavra de Deus...
Fique com Deus
Abraços
Daniel Bento Bejo 

MEUS AMIGOS PREPARANDO PARA O FINAL DE SEMANA ENTREM NO BLOG: http://catholicmusicandart.blogspot.com.br
E VOCÊ ENTRARÁ MÚSICAS PARA O FINAL DE SEMANA E UMA REFLEXÃO SOBRE O DOMINGO!

1 de agosto de 2012

Tesouro e pérola preciosos

Hoje de forma rápida e simples vamos meditar a Palavra de Deus do evangelho de São Mateus 13,44-46 em que ainda continua a mostrar a dinâmica do Reino dos Céus com duas paárbolas: a do tesouro descoberto e da pérola verdadeira em que vale a pena vender tudo o que há para tê-la.
Meditemos:
1. O que o texto diz em si?
Medite, contemplando cada versículo, cada personagem ou objeto que está presente na parábola. veja o contexto do todo da parábola.
Algo para se meditar é o despojamento que fazemos diante das coisas, de toda posse que temos em vista de algo maior.
O cristão deve ser igual ao descobridor, pois ele é um comerciante sábio, quando ele compreende o que a Palavra de Cristo quer dizer.
A Palavra de Deus, o reino e até o próprio Cristo que é a pérola, o tesouro.
2. O que o texto diz para mim?
Concentre e medite aquilo que mais se chamou atenção no texto, e o que faz na minha  vida.
3. O que faz dizer a Deus?
Faça sua oração, agradecendo ao momento aque você teve de oração e se for possível lea o Salmo de hoje: Sl 58(59) - Sois meu refúgio no dia da aflição.
Reze um pai-nosso, uma ave-Maria e um glória para encerrar seu momento de oração.


Que possamos ser cristãos que busquem a cada dia o precioso, que é a Palavra de Deus, a Deus e seu reino.
Se desejar partilhe aqui no comentários o versículo que mais lhe chamou atenção ou a sua experiência de oração...


Fique com Deus
Boa oração e meditação
Daniel Bento Bejo

31 de julho de 2012

Santo Inácio de Loyola

Bom dia a todos...

Hoje a Igreja celebra a memória de Santo Inácio de Loyola, e queria compartilhar hoje o evangelho desta memória que é de Lucas 14,25-33 que em primeiro lugar fala que para o seguimento a Cristo é preciso do desapego e depois carregar a cruz, caminhar pelos caminhos que o próprio Cristo caminhou.
Quando celebramos a festa de um santo, em especial a de Santo Inácio, presb´tero da nossa Igreja, celebramos toda a sua vida como modelo para a nossa.
Inácio descobriu Jesus Cristo pelo Evangelho e pela vida dos santos. Se entregou aa Cristo na Igreja. Ele lia a Imitação de Cristo na gruta de Mansera onde teve a experiências místicas e lançou as bases de seu famoso livro, os Exercícios Espirituais. 
Fundou a Companhia de Jesus em Paris e colocou em disposição ao Papa para a defesa da fé, reforma da Igreja e obra missionária.
Inácio assimilou Cristo na oração psicológica, na obediência e na santidade de vida e ainda apresentou um modo "novo" de imitar a Cristo.

Queria ainda compartilhar a Segunda Leitura do Ofício de Leituras da Liturgia das Horas que é muito riquíssima:

Segunda leitura
Da Narrativa autobiográfica de Santo Inácio, recolhida de viva voz pelo Padre Luís
Gonçalves da Câmara
(Cap.1,5-9:Acta Sanctorum Iulii,7 [1868],647)
 (Séc.XVI)

Provai os espíritos a ver se são de Deus
Inácio gostava muito de ler livros mundanos e romances que narravam supostos feitos heróicos de homens ilustres. Assim que se sentiu melhor, pediu que lhe dessem alguns deles, para passar o tempo. Mas não se tendo encontrado naquela casa nenhum livro deste gênero, deram-lhe um que tinha por título A vida de Cristo e outro chamado Florilégio dos Santos, ambos escritos na língua pátria.
Com a leitura freqüente desses livros, nasceu-lhe um certo gosto pelos fatos que eles narravam. Mas, quando deixava de lado essas leituras, entregava seu espírito a lembranças do que lera outrora; por vezes ficava absorto nas coisas do mundo, em que antes costumava pensar.
Em meio a tudo isto, estava a divina providência que, através dessas novas leituras, ia dissipando os outros pensamentos. Assim, ao ler a vida de Cristo nosso Senhor e dos santos, punha-se a pensar e a dizer consigo próprio: “E se eu fizesse o mesmo que fez São Francisco e o que fez São Domingos?” E refletia longamente em coisas como estas.
Mas sobrevinham-lhe depois outros pensamentos vazios e mundanos, como acima se falou, que também se prolongavam por muito tempo. Permaneceu nesta alternância depensamentos durante um tempo bastante longo.
Contudo, nestas considerações, havia uma diferença: quando se entretinha nos pensamentos mundanos, sentia imenso prazer; mas, ao deixá-los por cansaço, ficava triste e árido de espírito. Ao contrário, quando pensava em seguir os rigores praticados pelos santos, não apenas se enchia de satisfação, enquanto os revolvia no pensamento, mas também ficava alegre depois de os deixar.
No entanto, ele não percebia nem avaliava esta diferença, até o dia em que se lhe abriram os olhos da alma, e começou a admirar-se desta referida diferença.
Compreendeu por experiência própria que um gênero de pensamentos lhe trazia tristeza, e o outro, alegria. Foi esta a primeira conclusão que tirou das coisas divinas. Mais tarde, quando fez os Exercícios Espirituais, começou tomando por base esta experiência, paracompreender o que ensinou sobre o discernimento dos espíritos.

Que possamos a exemplo de Santo Inácio ser um fiel discípulo anunciador do Cristo pela Palavra, pois devemos estar em constante espírito de missão.
Coloque na sua oração de hoje a Companhia de Jesus e os jesuitas!

Fique com Deus
Boa oração e meditação
Daniel Bento Bejo

30 de julho de 2012

A semente e o fermento

Hoje somos convidados nesta segunda-feira meditar a Palavra de Deus do evangelho de Mateus 13,31-35 em que Jesus nos traz duas parábolas a da semente de mostarda e a do fermento e tem como objetivo de mostrar e apresentar como o Reino de Deus já está presente em nós.

1. Um grão tão insignificante depois de plantado se torna uma árvore tão esplendida, em que os pássaros vêm e fazem alí nos ramos os seus ninhos para morar.
2. O fermento -  que de forma escondida dentro da massa ela faz crescer, leveda a massa para ela não ficar empantumada...
 
Somente cresce a semente ou leveda a massa aqueles que recebem a palavra, faz com que ela de forma oculta possa entrar em nosso ser, nosso coração fazer morada e fazer com que cresça dentro de nossas vidas, mas que também saibamos levá-la as outras pessoas sendo incentivadores, anunciadores da Boa Nova aqueles que mais necessitem que o grão cresça que a massa levede.
Sejamos anunciadores, mas também receptores da Boa Nova. Pois quem sempre recebe a Boa Nova é que está disposto a mudança, a conversão é aquela pessoa que cresce diante de Deus

Boa tarde e fique com Deus
Daniel Bento Bejo

27 de julho de 2012

Parábola do Semeador


Hoje vamos meditar a Palavra de Deus com o evangelho de Mateus 13,18-23 nos perguntando primeiramente que tipo de solo eu sou? Tenho sido mais terreno ou mais semeador?
 
 Ouvi, pois, o sentido da parábola do semeador: 19quando um homem ouve a palavra do Reino e não a entende, o Maligno vem e arranca o que foi semeado no seu coração. Este é aquele que recebeu a semente à beira do caminho. 20O solo pedregoso em que ela caiu é aquele que acolhe com alegria a palavra ouvida, 21mas não tem raízes, é inconstante: sobrevindo uma tribulação ou uma perseguição por causa da palavra, logo encontra uma ocasião de queda. 22O terreno que recebeu a semente entre os espinhos representa aquele que ouviu bem a palavra, mas nele os cuidados do mundo e a sedução das riquezas a sufocam e a tornam infrutuosa. 23A terra boa semeada é aquele que ouve a palavra e a compreende, e produz fruto: cem por um, sessenta por um, trinta por um.

Entedamos a parábola pelo Comentário ao Evangelho do dia feito por São (Padre) Pio de Pietrelcina (1887-1968), capuchinho. Ep 3, 579; CE 54
 
Dar fruto, desembaraçado dos cuidados deste mundo
Avança com simplicidade nas vias do Senhor e não te preocupes. Odeia os teus defeitos, sim, mas tranquilamente, sem agitação nem inquietação. Há que ter paciência e tirar proveito deles com santa humildade. Se não houver paciência, em lugar de desaparecerem, as tuas imperfeições apenas crescerão. Pois não há nada que aumente tanto os nossos defeitos como a inquietação e a obsessão de nos libertarmos deles.
Cultiva a tua vinha de comum acordo com Jesus. Cabe-te a ti a tarefa de retirar as pedras e arrancar os espinhos. A Jesus cabe a de semear, plantar, cultivar e regar. Mas mesmo no teu trabalho, é Ele que actua. Porque sem Cristo não conseguirias fazer nada.
(www.evangelhoquotidiano.org.br)

Abraços e fique com Deus
Daniel Bento Bejo

Boa Meditação e oração - importante - levem a Boa Nova àquelas pessoas que mais precisam de você - COMPARTILHEM...

26 de julho de 2012

Mt 13,16-17


 

Vamos meditar a Palavra de Deus de hoje com um comentário de Santo Agostinho acerca do evangelho deste dia que é de Mt 13,16-17 retirado do site www.evangelhoquotidiano.org:
Comentário ao Evangelho do dia feito por Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja
Discursos sobre os Salmos, Sl 118, nº 20
 
«Muitos profetas e justos desejaram ver o que estais a ver»
  O profeta diz no Salmo: «Minha alma definha na Tua salvação; espero na Tua palavra» (118,81). [...] Que exprime esse anseio senão «a raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus» (1Pe 2,9), cada um em sua época, em todos aqueles que viveram, que vivem e que viverão, desde o início da humanidade até o fim do mundo? [...] É por isso que o próprio Senhor disse aos Seus discípulos: «Muitos profetas e justos desejaram ver o que estais a ver». É pois a voz deles que deve ser reconhecida neste Salmo. [...] Esse desejo nunca cessou nos santos e não cessa, mesmo agora, no «Corpo de Cristo que é a Igreja» (Col 1,18), até que venha «o Desejado de todas as nações» (Ag 2,8 Vulg). [...]
Os primeiros tempos da Igreja, antes do parto da Virgem, tiveram por conseguinte santos que desejavam a vinda de Cristo na carne; e o tempo em que estamos depois da Sua ascensão tem outros santos que desejam a manifestação de Cristo para julgar os vivos e os mortos. Nunca, desde o início até o fim dos tempos, este desejo da Igreja perdeu o seu ardor, a não ser quando o Senhor viveu na terra na companhia dos Seus discípulos.

Reze hoje pelos avós! Peçam saúde para eles! 
Hoje a Igreja celebra o dia de São Joaquim e Santa Ana, pais de Maria, avós de Jesus.

Fique com Deus
Daniel Bento Bejo

25 de julho de 2012

Mt 20,20-28



Hoje o evangelho que vamos meditar é de São Mateus 20,20-28 em que a mãe dos filhos de Zebedeu pede para Jesus, para que seus filhos um sente a tua direita e o outro a tua esquerda.
E lendo uma reflexão do site:  www.franciscanos.org.br, queria compartilhar com vocês, é muito interessante e vale a pena muito refletir:

"Estamos vivendo em uma época que é marcada pela diferença vista não pelo critério da complementariedade, mas pelo critério da oposição e da hierarquia. Esta fato faz com que vivamos em uma sociedade marcada pelo conflito e pela disputa constante de supremacia sobre os demais, de modo que o outro é sempre um concorrente, não é nunca irmão ou irmã, companheiro de caminhada na construção do Reino de Deus. O Evangelho de hoje nos mostra que esses valores que fundamentam a vida das pessoas não vêm de Deus e nem conduzem para Deus. Somente a fraternidade, a justiça e o amor vão possibilitar um mundo marcado pela convivência pacífica entre os seres humanos"

Hoje perdemos muito os valores que temos e pensamos somente em se vangloriar ou querer os cargos dos outros e até superá-los por nos acharmos "O TAL" e as vezes esquecemos que somos todos filhos de Deus...
Tenham um bom dia!
Fique com Deus
Daniel Bento Bejo

24 de julho de 2012

Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?

Vamos meditar a Palavra de Deus de hoje com o evangelho de São Mateus 12,46-50

Vemos neste evangelho Jesus que interroga: "Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?”. Primeiramente temos um contexto em que Jesus estava ensinando para as multidões e do lado de fora estava sua mãe e seus irmãos, e aqueles que o ouviam falavam que estavam lá fora e que queria falar com ele.
Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos? e Jesus completa Minha mãe e meus irmãos são todos aqueles que ouvem as minha Palavras e as põem em prática.

Na minha vida hoje, será que me sinto incluso nesta grande família de Deus, ouvindo e pondo em prática a sua Palavra, anunciando sem vergonha, sem deixar que os outros achem que sou o diferente. Posso ser diferente no meio do mundo, mas não diante de Deus.

Reze:
Senhor, te suplico me faça parte de sua família, que possa a cada dia ouvir a sua Palavra, por em ação os seus ensinamentos, para que assim também esteja pronto para fazer a vontade de seu Pai! Amém!
Reze um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória ao Pai... e agradeça este momento de oração, a sua vida, sua vocação e a este momento com a sua Palavra.
Fique com Deus
Daniel Bento Bejo

23 de julho de 2012

A PERSISTÊNCIA

Meus amigos é com muita alegria e perseverança que continuo a estar postando com fidelidade a Palavra de Deus diária. Sempre precisamos, no que fazemos na nossa vida um pouco de incetivo, motivação e ânimo para fazer uma caminhada legal, com Deus presente...
O MCC (Movimento de Cursilho de Cristandade), me alimenta e preenche a cada dia a minha vocação e me fortalece para anunciar a Boa Nova a tantos jovens que precisam...
E este foi o impulso para estar retornando as reflexões diárias e me faz persistente.

E hoje a Palavra de Deus vem no evangelho de Mt 12,38-42, vemos a figura do Filho de Deus, o próprio Jesus Cristo, aquele que é maior do que Jonas, pois é aquele que nasceu de Maria. 
Jesus, Deus feito Homem e habitou na humanidade para salvá-la de todo o pecado.
Jesus é:

- que revela o Pai;
- revela o plano, o projeto do Pai;
- o Amor do Pai;
- nos envia o Espírito Santo - quando estava os discípulos reunidos juntamente com sua Mãe, Maria;
- e além do mais nos envia em missão - para proclamar a Boa Nova do Evangelho a toda a criatura, aos povos e nações...

Sejamos, a cada dia os anunciadores da Palavra de Deus, em todos os lugares que precisarem de nós.
Que possamos a cada dia meditar e colocar a Palavra de Deus como centro da nossa vida, do nosso dia...
Fiquem com Deus
Daniel Bento Bejo

26 de maio de 2012

PENTECOSTES


Pentecostes vem do grego “pentekoste”, que significa 50º, ou seja, os cinqüenta dias após a Páscoa, em que se realiza a efusão do Espírito Santo à comunidade dos discípulos. Ainda era “a festa das semanas, que ocorre sete semanas depois do começo da colheita de trigo”. (Dicionário Bíblico)
Tendo-se completado o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como o agitar-se de um vendaval impetuoso, que encheu toda casa onde se encontravam. Apareceram-lhes, então, línguas como de fogo, que se repartiam e que pousaram sobre cada um deles. E todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia se exprimirem.” (At 2,1-4)

É nesse dia, nesta celebração que nos é revelada em plenitude a Santíssima Trindade, pois o Espírito vem do Pai e do Filho, ou seja, vem do eterno abraço de amor entre o Pai e o Filho. E assim, agindo em continuidade vem manter na comunidade dos discípulos a memória de Jesus, para que possam anunciar a Boa Nova, dar testemunho do próprio Jesus crucificado-ressuscitado em meio às nações.
Às vezes, pensamos que o Espírito Santo esteve presente somente neste ato (Pentecostes) em que estavam reunidos em comunidade, de uma experiência pós-pascal (após a Páscoa – Ressurreição).
Mas o Espírito Santo está ligado ao Mistério de Jesus, o crucificado-ressuscitado desde suas origens (numa experiência pré-pascal, ou seja, no seu ministério público), como podemos relatar: na encarnação – Lc 1, no seu Batismo, na sua missão, na vida pública, como também o próprio Jesus que promete o Espírito, que ressuscitado pelo poder deste Espírito, elevado ao Pai e que vai enviar finalmente aos seus discípulos, e consequentemente que permanecerá com eles, na sua vida, em toda sua pregação e testemunho.
Hoje por meio do Sacramento da Confirmação ou Crisma, nos é enviado o Espírito Santo que recebemos no nosso Batismo para que incorporado a Cristo para termos a missão de ser sacerdote, profeta e rei. Por meio deste sacramento o Espírito Santo nos enraíza mais profundamente na filiação divina.
Selados com Espírito Santo de Deus, somos conduzidos a cada dia mais a seguir os passos de Jesus Cristo, carregar a sua cruz, ouvir sua Palavra, colocá-la em prática e, sobretudo anunciar e testemunhá-la.
Portanto, nesta solenidade de Pentecostes, celebramos também o Dia da Unidade de Igreja que é preparada deste da solenidade da Ascensão do Senhor, em que somos chamados nesta semana a rezar pela unidade dos cristãos, iniciativa da CONIC (Comissão Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil). Que o Espírito Santo nos ilumine e nos renove a cada dia o ardor pela sua Palavra, para podermos assim anunciá-lo a todas as nações e povos.
Daniel Bento Bejo