19 de dezembro de 2011

Anunciação do nascimento de João Batista


Vamos partilhar um pouco o evangelho de hoje de Lucas 1,5-25 - que vem trazer em primeiro lugar nesta grande semana em que preparamos ardorosamente nosso coração para a vinda do Senhor, somos chamados a centrar na figura de João Batista nesta segunda-feira, mas não nos seus feitos de preparação para a vinda do Senhor, mas para olharmos o anúncio do seu nascimento em Isabel, a mulher estéril. Na velhice e sendo estéril, Isabel concebe um filho.
Vemos nesta passagem um paralelo com a de amanhã - que é o anúncio do anjo Gabriel a Maria. No anúncio de João Batista a Zacarias se prepara para o anúncio do nascimento do nosso Salvador Jesus Cristo.
Vejamos neste texto, cometário do evangelho de hoje do site www.evangelhoquotidiano.org:

"Comentário ao Evangelho do dia feito por  São Máximo de Turim (?-c. 420), bispo CC Sermão 5; PL 57, 863
«Não temas, Zacarias: a tua súplica foi atendida»

Foi a oração e não o desejo sexual que levou à concepção de João Baptista. O seio de Isabel tinha passado a idade de dar vida, o seu corpo tinha perdido a esperança de conceber; apesar destas condições de desesperança, a oração de Zacarias permitiu a esse corpo envelhecido germinar ainda: foi a graça e não a natureza que concebeu João. Este filho, cujo nascimento vem menos do abraço do que da oração, só poderia ser santo.
Apesar de tudo, não devemos espantar-nos por João ter merecido nascimento tão glorioso. O nascimento do precursor de Cristo, daquele que Lhe abriu o caminho, devia apresentar uma semelhança com o do Senhor, nosso Salvador. Se, portanto, o Senhor nasceu de uma virgem, João foi concebido por uma mulher velha e estéril. [...] Não admiramos menos Isabel, que concebeu na sua velhice, do que Maria, que teve um Filho na sua virgindade.
Aqui parece-me já haver um símbolo: João representava o Antigo Testamento e nasceu do sangue já arrefecido de uma mulher idosa, enquanto o Senhor, que anuncia a Boa Nova do Reino dos céus, é fruto duma juventude plena de seiva. Maria, consciente da sua virgindade, admira a criança gerada nas suas entranhas. Isabel, consciente da sua idade avançada, cora ao ver o seu ventre pesado pela gravidez; o evangelista diz, com efeito: «durante cinco meses permaneceu oculta». Temos de admirar também o facto de ser o mesmo arcanjo Gabriel a anunciar os dois nascimentos: traz uma consolação a Zacarias, que permanece incrédulo; e encoraja Maria, que encontra confiante (Lc 1,26s). O primeiro, por ter duvidado, perdeu a voz; a segunda, por ter acreditado imediatamente, concebeu o Verbo Salvador."

Fique com Deus, uma boa oração e meditação da palavra de Deus
Daniel Bento Bejo

Nenhum comentário:

Postar um comentário